Arquivo de Outubro, 2009

 

 

A Mão e a Amizade

 

 

 

Se ela é bonita,
Uma das mais belas maravilhas
A mais bela das belezas
Que nunca existiu… 

 

É para mim um anjo,

Que só por milagre,

Chega até nossos olhos…

É único e exemplar!…

 

O que para mim jamais existiu,
Sem beleza ao redor,
E o coração de um amigo em cada turno,
Nos braços abertos para dar meu sangue…

 

É a realidade…

Pura e cristalina,

Um coração amigo,

Sempre disposto à vida entregar…  

 

Eu sei o que sinto,
É esse sentimento?
Sabendo que sempre estará lá
Para nós, para eles, para mim… 

 

Brilho cortado às vezes,

Mas certo do querer…

Sempre ali a brilhar, 

Para quem aflito chamar.

 

Por que o sol nunca se põe,
Então sonho…
E os olhos ainda úmidos,
Somos uma sinfonia de acordo… 

 

Vento norte, Vento sul,

Somos o centro do encontro.

Olhos ternos donde flui pura emoção,

Humor da orquestra que executa a canção!…

 

O que faríamos sem ele?
Sem esse sentimento maravilhoso?
Sentimentos tornam-se indispensáveis
Em nossas vidas, nossos corações…

O que seria?

 

Somos maravilha de Deus,

Jardim secreto, destino certo.

Unidos nos sentimentos seus e meus…

 

Sentimentos para lá de discretos
Sob a sombra de simpatia,
Isso não é nada para simpatizar,
Mão amiga para fazer brilhar o sol… 
 

 

Árvore mágica de penduricalhos,

Donde exala frutos bem simpáticos…

Chove mãos para segurar.

A mão amiga que vai encontrar…

 

Muitas vezes perdida e negada,
Muitas vezes esquecida e degradada
Sentindo que sempre renasce,
Esse sentimento é amizade…

 

Trespassada, amarrada, sangrada.

Nas idéias, às vezes violentada.

Como Fênix revigorada,

Na amizade decantada!…

 

Denise Figueiredo

&

Manuel Poète

Foto: Ianda – Olhares.com

 

ETERNA

 

Tirei as sandálias e aguardei
Atenta ao teu sinal eu entrei
Minha casa agora será essa
Compro ou alugo? Não interessa…

 

Teto de vidro para ver,
O que vai lá fora e entender.
Janelas abertas para sentir
O frescor do vento e viver.

 

Cercada de terra pra eu plantar.
Sementes de flores para enfeitar.
Frutas para nos alimentar
Árvore frondosa para sombrear

 

Seu endereço me encantou
Fica na rua  do primeiro amor
Na estrada aberta
Por quem me amou.

 

Denise Figueiredo

" IN Segredos"

 

http://gotasdepoesia.spaces.live.com/

 

 

Fotografia: José Luis Cunha – Olhares.com

Tema proposto para reflexão durante esta semana

VERDADE, em um momento, onde a sociedade, diz que mentir para  poder, não "brigar",  para poder "arrumar" um emprego, para poder "ajudar"… Seria a VERDADADE mais importante que a mentira? Ou  haja o que   houver,  O QUE IMPORTA É RESOLVER NA HORA O PROBLEMA, NÃO INTERESSANDO SE USOU DE VERDADE OU MENTIRA?

 

 

Saudades

 

Algures desejas-me tanto como eu
mas os meus olhos já não encontram os teus…
 
o teu amar no meu coração ficou, como um retrato da tua presença
mesmo longe sinto que o teu despertar já pertence ao meu amanhecer
somos unos neste frágil equilibrio que chamamos distância
…é o elo que nos fortalece de amor com vontade própria
 
venero o teu breve regresso ao meu regaço envolvente
reflexo profundo do instinto que a saudade deixou por aqui
o meu sentimento pulsa no branco gelo do tempo parado
crepita nas entranhas deste inverno de pedra mármore
 
no alpendre do silêncio, a saudade enlutando o meu olhar
o vazio do eco comido ás secas num atentado mudo
 a tua não presença está dentro fora de mim
…neste tempo presente que embala o desejo no teu voltar
 
para além do tempo em ocasionais manhãs de sol
prendo as mãos e o olhar no nada
sinto-me vestido de luto cerrado e austero
…resta-me então o vazio e a tristeza na falta de palavras
 
os meus dedos tristes não sabem escrever saudade
essa falta imensa que me fazes todos os dias
os teus beijos não se escrevem, sentem-se nos lábios
verdades e vontades que só te digo olhos nos olhos
 
procuro imaginar os teus caminhos e destinos
na dolorosa claridade imaculada dos meus passos
por entre as margens do nosso afastamento, o silêncio…
lágrimas e sorrisos desta gélida cidade branca
 
lágrimas e sorrisos aparentemente doces e tranquilos
gritam saudades que não se escrevem na folha de papel
nem sempre sei chorar e sorrir longe de ti, meu doce
…sinto todos os silêncios a ferir dentro e fora de mim
 
profetizando o teu retorno, desenterrei uma raiz
neste canteiro de terra firme, berço do nosso amor…
porque no fim as tuas mãos e as minhas serão
a ponte para a nossa união final e eterna
 
algures entre o teu e o meu desejo
os meus olhos já encontram os teus…
 

 

Madalena & Claudio Pereira

 

Foto: Olhares.com

 

 

Noite e Dia

A noite não é noite verdadeiramente
quando não existe uma estrela
E a lua refugia-se na sua caverna minguante
nascida num pedaço do universo
obscurecendo  gerações
Chega sempre com seu traje de coruja

O dia não é dia seguramente
quando não podemos sorvê-la
Essa vida que nos toma e leva de rompante
tantas vezes nos mostra o reverso
 nos aperta os corações
E cai a noite para nos lavar a alma suja

 
A noite não é a mesma certamente
É por isso que cada noite é diferente
onde se aprende a lidar com o mundo.
E a noite é um anúncio do partir do zero
que e nos envolve com seu desafio
Enquanto os salgueiros choram no escuro
Aqui há uma noite que antecede uma manhã

O dia não é o mesmo aparentemente
E por isso cada dia se encara de frente
nunca nos deixando cair no fundo.
E o dia anuncia aquilo que mais quero
envolvido num intenso e doce calafrio
O momento eterno em que te juro
Que a nossa amizade nunca será considerada vã

 

Mª João & Anna