Arquivo de Março, 2009

 
 

 

 

 

Esse tempo…

.

 

 

Sou daquele tempo

Em que as esperas

Se faziam longas

E tranquilas

E o verão era eterno

(Ou achava que sim…)

 

 

Com os dedos entrelaçados

Passeávamos pelas tardes infinitas

Envoltos numa cúmplice mudez

Sorvíamos o entardecer…

(E já era hora de voltar!)

 

 

Revolvia-te os cabelos

E num beijo demorado

Nos despedíamos

Num lânguido adeus…

(Até ao dia seguinte)

 

 

E os dias somavam-se

Incólumes…

 

 

O nosso sonho desfazia-se em carícias

 

 

Pelo teu corpo naveguei

Ávido de te querer

Consumido em mil desejos

No olhar do teu rosto.

 

 

Dentro desse beijo

De olhos abertos

Teu corpo extinguia-se no meu

Ardente

Num abraço perpétuo…

 

 

(Sabes…

Sou agora e ainda desse tempo…!)

 

 

 

JoséManuelBarbosa©2008

 

http://erg-chebbi.spaces.live.com/

 

 

Fotografia: José Manuel Barbosa –  www.olhares.com/OlharesComPaixao

 

 

 

Tema proposto para debate durante esta semana:

 

"Internet / redes sociais: aproximação entre pessoas ou palco de mentiras?"

 

Anúncios

 

 

Sentimentos em rascunhos

 

 

Em rabiscos e riscos
entre as linhas por fora e por dentro
Sentimentos vou buscando
Escrevo as letra, palavras
e nas frases encontrando

 

Adoro amar você
é amor que vem depois o ponto.
Rascunho os sentimentos
e finalmente te encontro
Um momento de amor e pronto !

 

agora mais umas palavras e
estarei com você…
deixo os rascunhos falarem por mim
Abro os braços, e meu coração é quem conduz
Agora é o vento… a soprar palavras do pensamento

 

Escute o palpitar dos meus sentimentos
deixe que as palavras tomem conta de ti
Fico aqui a te escrever, na esperança de me lêr
o que vai entender não é milagre algum
são somente rascunhos e sentimentos…

 

 

Alexandre Sena

 

http://zalexandresenaferreiraz.spaces.live.com/

 

Foto: Daniel Camacho – Olhares.com 

Tema sugerido para esta semana :

Lembrança…

 

Com o objectivo primeiro de defesa da diversidade linguística, o Dia Mundial da Poesia foi instituído pela UNESCO, (organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) em 1999.

 

Sendo este um espaço onde o principal veiculo de união entre todos os que dele participam é a poesia não poderíamos deixar de assinalar este dia.

 

Para isso propomos-lhe a elaboração de um poema em conjunto.

 

Através de comentário dê continuidade ao texto seguindo sempre a lógica do comentário anterior 

 

Mote:

 

Escrever é …

 

 

 

Escrever é…
Meu grito de socorro
O espelho que reflete
Escrevo ou eu morro

Escrever é…

… dar corpo ao silêncio

escondido por detrás

do gesto não consumado…

 

Escrever é…

o meu grito de liverdade!
Dar assas aos sentimentos e deixa-los voar…
Fazer os outos compreender o que eu sinto de verdade,
porque escrevo com paixão!
As palavras, saiem da boca.
A escrita,do coração…

 

Escrever é…

ser semente sempre a germinar
É deixar rastos de memórias.
É dar voz ao coração
É deixar a alma voar
É pôr em papel o grito calado
É ser, sem o ser, libertado

 

Escrever é…

Liberdade flutuante
Numa folha de papel
em branco
Brisa de inspiração

Fugas do coração…

 

Escrever é…
Navegar no mar da saudade,
Nas onda da imaginação…
Deixar sair um suspiro,
Um grito, um lamento,
Andar ao sabor do vento!…

 

Escrever é…

O espírito conseguir libertar
É dar corpo ao pensamento
É conseguir, enfim, confessar
O que sentimos no momento.
É criar, moldar, no papel verter
A ideia que nos cruza a mente
E no fim podermos dizer
Confessei-me, finalmente…!

 

 

Escrever é
alma corrompida liberta
escorrer sangue nos dedos
libertar todos os medos
não deixar ferida aberta
Escrever é
amar, sorrir
calar, pedir
Escrever é viver

 

Escrever é…

Um lazer.
Sentir o fervilhar da Vida,

Pulsar nos contornos dos dedos,

impelindo uma simples caneta numa folha de papel.
Escrever não é mais do que isso,

Um simples devaneio da Alma.
Desde que me conheço,

é uma parte de mim escrever,

é como o ar que respiro, ou a água para beber.
Esrever é algo interessante que me vai no sangue,

simples acto de criar

deixar aquilo que só existe na minha cabeça

passar a existir no papel.

 

 

Escrever é …
Colocar a alma
no bico do lápis
e deixá-la jorrar
todo o seu sentir

Escrever é …

Escrever é terapia
é deixar transparecer o nosso interior
Escrever é amizade
amor ….

 

Participantes:

 Céu, Erg Chebbi,  Mena Faria, Angelina Andrade, Anna, Dina,  Bezungão, Maria João, Al- S, Liz, Alexandra   

 

 

Bailado da sereia e do surfista

 

Quando um dia eu morrer

vou pedir p,ra renascer na forma de uma Sereia

E lá do fundo do Mar, ver-te na prancha a surfar.

 

Na onda mais gigante, nós os dois vamos brincar

vais sentir a liberdade, que tanto anseias e queres.

Mas ainda não encontras-te nos braços de tantas mulheres.

 

E se um dia estiveres triste, prometo que vou cantar

um dos meus cantos mais belos, que te vão enfeitiçar.

levo-te para o fundo comigo, dando-te milhares de beijos

para puderes respirar.

 

E em carruagem feita, do mais belo coral

puxada por cavalos marinhos, navegamos

por caminhos de cristal.

 

Vou convocar o Narciso que vive comigo no mar

Convoco tambem Neptuno que precisa descançar

E a ti S Valentim, que já estás convocado para o amor celebrar.

 

E depois num canto triste, o adeus tenho que dar

trazendo-te para a prancha, para novamente surfar.

 

Mas tu agora já sabes, os segredos da Sereia

e sempre que estiveres triste, sabes onde me encontrar.

A Sereia não tem braços p,ra te puder agarrar, por isso dizes baixinho

vem Sereia…eu estou aqui…eu preciso mergulhar…

 

Mergulhas as vezes que quiseres, até não mais precisares

nessa Sereia sem braços, que não te pode agarrar.

E quando um dia disseres, Sereia estou cansado, cansado de mergulhar…

Esta Sereia sem braços, que não te pode agarrar, vai-te depositar na areia

para puderes descansar.

Mas ficando sempre à espera, de ouvir o teu suspiro…Sereia estou aqui…

Quero outra vez mergulhar…

 

E Narciso enciumado vai querer olhar p,ro lado.

Neptuno descansado, vai enfurecer o mar.

E nós rindo, e divertindo todos os peixes do mar.

Perseguidos pela Mureia, vamos descansar na areia…

 

Mas eu que sou uma Sereia, vou precisar de mil beijos

para puder respirar.

E quando desfalecer, pega-me ao colo Adonis

e deposita-me no mar.

 

E eu sei que vais partir, para os braços de outras mulheres.

E nadando de recife em recife, perseguida p,lo bailado da Mureia, e o riso de Narciso

P,ra não verem meu chorar, vou continuar a nadar…

Sempre à espera de escutar, a tua voz meiga e doce, Sereia vem-me buscar.

E esse dia chegou, escutei o teu chamar…

E subindo alegremente com meu fato de cristal.

E vejo-te encanecido, e de rosto tão sofrido

e nem chorar já consigo.

Vem a Mureia, Neptuno e Narciso p,ra chorar.

Aninho-me em teu abraço, recebo teu ultimo beijo

A Lua por companheira.

E em derradeiro suspiro…morremos juntos na areia.

 

E vieram todas as Ninfas que habitam no fundo do mar

Fazendo de carpideiras, mas com lágrimas verdadeiras

lagrimas trazidas do mar.

Ergueram uma Pira na areia, para nos depositar.

A Lua acendeu a fogueira, e quando já era-mos cinza, Neptuno soprou-nos

para o ar.

Narciso ficou em silencio, a Mureia parou de dançar.

As Ninfas chorando em silencio, lágrimas de Diamantes que atiravam ao mar.

 

 

Angelina Andrade

 

http://angelinaandrade.spaces.live.com/

 

 

Foto: Arlinda Mestre – Olhares.com

 

 

O tema proposto para reflexão durante esta semana é:

 

Mitos e lendas … até que ponto influenciam as nossas vivências?

 

 

Afagar

Te afago e te levo
ao meu mundo,
nas mais prazerozas
das loucuras,
do nosso amor,
contemplando o
seu lindo sorriso
que você me dá.

Te afago na imensidão
do meu amor
a te saciar, no meu querer
só para você.
Incessante é o
seu desejo, pelos
meus fogosos afagos.

Te afago nos momentos
conturbados, para
não perecer seu sorriso,
e o seu lindo
amor que você me dá.

Te afago com caricías
envolventes,percorrendo
seu corpo, até sentir
a sua alma, nas
profundezas do meu ser.

Te afago nos meus
delírios de amor,
a te ofertar, como
o tamanho do
mar no nosso olhar,
com a luz do luar.

Autoria Nati Caetano
©Copyright-2007-2008
Todos os Direitos Reservados

 

 

http://cid-8138398bb731a45d.profile.live.com/

Foto: Carlos Fortunato – Olhares.com

 
 
 

Para esta semana o tema proposto é:

"Como solucionar os momentos conturbados,
quando existe amor entre dois seres."

 

 

Natureza

 

Graciosa e afável natureza

No esbanjar de tanta beleza

Com audácia e com nobreza

Vai revelando suas proezas

 

Em um gesto insatisfeito

Varre sonhos com os ventos

E daqueles que tem respeito

Há de tocar os sentimentos

 

Talvez não seja a intenção

Na lua desperta emoção

E nas noites de solidão

Causa angústia e aflição

 

Tanto brilho e encantamento

Reflete em todo o firmamento

Mas assolada a todo momento

Verte gritos de lamento.

 

Gege.

 

http://gegemelegari.spaces.live.com

 

Fotografia:

Tema proposto para reflexão durante esta semana:

Natureza … que tratamento lhe damos?