Arquivo de Fevereiro, 2008

 
 
 
 
 
 
 
Foto: Luis Royo

 

Dando seguimento a uma sugestão do nosso amigo Paulo Coelho, e com o manifesto apoio de

muitos outros amigos, “Rascunhos & Sentimentos” solicitou ao Poeta da Semana que nos

indicasse um tema sobre o qual gostasse de ver os nossos escritores “rascunhar”.

Visto que a nossa poetisa, esta semana, é a nossa amiga Flor, o tema indicado por ela é:

 

"As Desigualdades Sociais" no âmbito dos deficientes.

 

Dêem largas à imaginação e deixem-nos os vossos textos via comentário até ao final da semana.

 

 

Anúncios

POESIA PARTILHADA 1

Posted: 21/02/2008 in Sem categoria

   

 


Amigos, Poetas e Poetisas

 

Porque o “Rascunhos & Sentimentos” pretende ser um espaço dinâmico, onde se partilhe a amizade,

a experiência e o gosto pela poesia, resolveu propor-vos uma brincadeira

que espera seja aceite de bom grado por todos vós.

Esta não é uma iniciativa que se queira perfeita, antes pelo contrário,

deseja apenas proporcionar bons momentos de diversão entre amigos.

 

Ora então, vamos elaborar um POEMA PARTILHADO!

 

Para participar basta pegar no último verso ou palavra que está escrita

e em forma de comentário dar-lhe continuidade, de acordo com a sua interpretação …

no final de cada dia serão adicionados todos os comentários, sempre por ordem cronológica.

 

ACRESCENTE UMA PALAVRA, UM VERSO OU MESMO UMA ESTROFE E

PARTICIPE!

 

 

MOTE:

Nesta brincadeira queremos entrar com o coração


Poetas e sonhadores vão dar a mão….

(continua… por si!)

…continuou e muito bem!

Agradecemos a vossa participação.

E o resultado foi este:

 

Vamos dar asas à imaginação

Buscar um espaço perfeito

Transformar nossas vidas

Em pura inspiração

 

Dar asas à imaginação

Tão fértil no Ser Humano

O que fala com o coração

Sem magoar nem cometer dano…

 

E a noite voltou sem estrelas,

sem lua, sem poesia…

Apenas chuva miudinha… 

O poeta solitário olha da janela

procurando inspiração.

 

E tempera a noite com a lua

Encosta-a à sombra da paixão.

Desenha-lhe asas, dá-lhe sonhos

Em simbiose perfeita de ilusão.

Perdido na calha da noite,

Tocam-lhe palavras sensíveis.

E a ausência que sente

No fogo de ruas desconhecidas.

 

Pega em folhas de papel brancas

Derrama-lhe as palavras que sente

Esquece a ausência mas tem a solidão

Chega a gostar dela… Mente…

E fica-me com as folhas na mão

 

E em cada gota pequena

Segura uma letra semente

Logo se foram as nuvens

O sol se pôs a raiar

As sementes vão rebentar

 

 E dos rebentos nascem esperanças

Cobertas de lindas cores

A lembrar todos os amores

Que enchem a vida de lembranças

 

E as lembranças, agora palavras

Libertas e soltas ao vento

Correm veloz e desalinhadas

E acodem ao teu chamamento

 

Frases   que  brotam  da sua  mente

Gotas  que  caem  na  folha  branca

Formando  frases  perfeitas

 Frases  que  transmitem  tudo

 A  beleza da  vida, a cor  da natureza

 O  azul  imenso  do  céu,  tudo  em  perfeito  contraste

 

São os contrastes que transcreve

De lembranças e sentimentos

São gotas perfeitas de brisa fresca

São palavras, são momentos…

 

São momentos divinais

Vividos no fogo da paixão

Em recantos especiais

Não, não foram ilusão…

 

E nesta brincadeira gostosa,

Unidos pelo coração,

Somos todos poetas livres

E nossos versos, pura emoção…

 

São Belas as Vivências!

Que estão à flor da pele;

Abençoadas as Existências,

Que trocam o Pão p’lo Mel!

 

Rabiscos letras, frases…

Por onde andas inspiração?

A alma murmura baixinho,

Mas não consegue entender.

Precisa que a caneta devore

O branco das pautas, vertendo

Tudo o que passa, sem descrição,

Num poema…

 

Um poema que traz a lírica,

De humano versejador,

E sai do fundo da alma

Na rima feita com amor.

 

"Sim somos livres

E felizes;

Quando encontramos

Algo que nos

Agrade e realize

Como pessoa. 

"Sou feliz, porque existo!!!"

 

A liberdade de ser quem somos

Sermos aquilo que queremos ser

Felizes de ser como somos

Livres e felizes p’ra viver

 

A vida que nada significa

Sem uma mão para nos dar

Os poetas e poetisas

Podem deixar-se amar

 

Na tua mão seguro a vida

Nas palavras do poema, o amor

Quando a noite mansa chora sentida

E nos meus olhos o silêncio é de dor

 

Dor que me arrebatou coração

Dor que me fez doer a alma

Dor perda na vida

Dor amarga desilusão…

 

Para levar minha cruz ao fim

Quantos passos eu dou

É pesada e a força acabou 

Mas se ela fosse um pouco

Mais leve…Seria menos pesada

O caminho era breve

Menos penosa a caminhada…

 

Caminhada que todos seguimos

Cada um na sua direcção

Embora encontremos espinhos

Também nos unimos pelo coração 

 

 

 
Pelo coração…
 
Pelo gosto de amar
 
Escrevemos com emoção
 
Ou pelo simples prazer de sonhar.
 
 
 
PARTICIPAÇÃO:
mena, Flor, Madalena, Someone, Alma, Paulo Coelho, Moonlight Dreamer, MF, Juliana, Anna
Nuvem, Marcelle, Santos, Eterna, Miro, Profª Sandra Barros, Maria João, Mar, Lua, Céu,
M.Emilia, Liz, Eduardo
 
 
 
 
 
 
"Rascunhos & Sentimentos" esta receptivo a propostas para novas iniciativas.
 
Deixe aqui a sua sugestão.
 
Obrigado!
 
 

 
 
 
 
Adeus…
 

Dias…meses…anos

Fechado no meu quarto

Os minutos passam…

Não esperam por mim

 

A juventude audaz

Abandona meu corpo

Fico sem forças

 

A alma para o tempo

Recordo o passado

Apago o presente

Esqueço o futuro

 

Fico em transe…

Passa a vida por mim

Sem que a possa agarrar

As lágrimas molham o rosto

 

Nada mais me resta

A última pagina foi escrita

Parto em paz…

 

 

Eduardo

 

 

http://cantinhoeduardo-martins.spaces.live.com/

 

 

 

 

Foto: Olhares.com – Duarte Almeida

 

 

 

 

                    "Em poesia "

 

 

                      Em poesia, há, e não há palavras!

                      Os sentimentos podem ser, armas!

                      Não pode nunca, incomodar!

                  O meu desassossego, é o meu inconformismo!

                   Pode parecer um aforismo!

                   Fico sem jeito ao fingir!

                  Outras finjo com jeito!

                  E vou mentir!

                    Não há respostas prontas, para dar!

                    Há ou não vida para viver!

                  Há ou não ideias!

                   Não se pode dar, se não se tem!

                   E a poesia não é de ninguém!

                   Uma brincadeira séria de palavras!

                   Que pode ser bruta, numa mente astuta!

                     Ou suave lânguida transparente!

                      Quando dita em voz de gente!

                     Por amor de uma mulher, podes ser feliz!

                   Também matar!

                     Em poesia, nunca, nunca, irás incomodar!

                      Até nas entrelinhas podes ler!

                      Não o farás se não houver!

                     Linhas, linhas, escritas!

                    Se as palavras, nunca, forem ditas!

                     Estas palavras acabei de as escrever!

                   Já não são minhas!

                       Passaram a outra dimensão!

                      Já não tenho sobre elas qualquer poder!

                        Por isso também meu irmão!

                     Te convido a escrever!

                    Com ou sem poesia!

                     Com ou sem maresia!

                     Fás de repente: sorrir uma flor!

                     Num ranger de dentes indolor!

                Diz que estás presente, e faz-me ver um caminho!

                  Uma forma! Um estar!

                  Um receber e também dar!

                  Á vida dimensão e jardim!

                 Perder o não e dizer sim! Te peço, fás isso!

                 Fás isso por mim.

 

                                                         Vitoriogil

 

 

 

                        http://vitoriogil.spaces.live.com

 

   

 

Foto: Olhares / Pedro Moreira

 

 

 

 

“Rascunhos & Sentimentos” tem o prazer de vos apresentar a iniciativa

 

POETA DA SEMANA

 

Consiste em destacar semanalmente um dos nossos poetas amadores.

Para isso será exposto neste mesmo espaço um poema  de autoria do poeta nosso

convidado juntamente com o link do seu espaço pessoal.

 

O convite chegará ao destinatário via Mensagem dos Espaços e, em caso de resposta

afirmativa, como é nosso desejo, o poeta deverá enviar-nos um poema à sua escolha,

que obrigatoriamente terá que ser de sua autoria,

juntamente com o link do seu espaço pessoal.

 

 O poema será ilustrado com uma imagem escolhida por nós e sempre de acordo

com o tema do texto, no entanto se nos quiser sugerir uma imagem do seu agrado

poderá envia-la junto com o poema.

O único requisito é que terá de ser uma imagem devidamente identificada

com nome de autor.

 

Para começar em grande, destacamos esta semana, não um poeta amador mas

uma das maiores poetisas do nosso país:

 

Florbela Espanca

 

 

Entre e sinta-se á vontade, junte-se a nós, comente e faça desta iniciativa a sua casa.

 

Desfrute

Das palavras que escrevem…

Dos sentimentos que desvendam…

 

Seja bem-vindo!

 

“Rascunhos & Sentimentos” 

 

 

Nota: Esta iniciativa não é um Concurso. Tem apenas em vista destacar Amigos Poetas Amadores. 
 

 

Ser Poeta

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Áquem e de Além Dor!

É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!

E é amar-te, assim, perdidamente...
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!

                                   Florbela Espanca